Animais são atingidos por lama tóxica da barragem de Brumadinho (MG)

Animais são atingidos por lama tóxica da barragem de Brumadinho (MG)

Um dia triste para a população de Brumadinho (MG), cidade da região metropolitana de Belo Horizonte, para o meio-ambiente e para os animais.

Tragédia

Após o rompimento da barragem de rejeitos Mina do Feijão, da empresa Vale nesta sexta-feira (25), mais de 200 pessoas estão desaparecidas e centenas de animais foram atingidos.

Muitos morreram devido à enxurrada de lama tóxica que atingiu o local. Da mesma forma, a lama também alcançou os animais, que foram vistos atolados na lama, sem previsão de resgate até o momento.

Caso já havia acontecido em Mariana (MG)

O mesmo tipo de crime ambiental ocorreu em novembro de 2015 na cidade de Mariana (MG), após o rompimento da barragem de Fundão. Na ocasião, 19 pessoas faleceram e houve destruição da fauna e flora do local, que levará anos para se recuperar.

Resgates de Animais

Cachorro resgatado no desastre ambiental de Mariana (MG) em 2015.

O resgate dos animais está sendo realizado com muita cautela, mas muito devagar. Um grupo de resgate (Veterinários na Estrada) que atuou em Mariana (MG), está indo para Brumadinho para ajudar no resgate e oferecer cuidados veterinários.

A Adriana Araújo do MMDA (Movimento Mineiro pelos Direitos Animais) divulgou uma nota no Facebook após o desastre ambiental e disse que não medirá esforços para salvar os animais: “Nossa força-tarefa que atuou em Mariana e Rio Casca está articulando toda a logística e frentes de trabalho para em breve divulgarmos o que será necessário”, afirmou no documento.

Mobilização

Macaco atingido por lama tóxica da barragem de Brumadinho (MG)
Macaco atingido por lama tóxica.

Estudantes de universidades de Belo Horizonte (MG) estão se unindo para arrecadar água, mantimentos, roupas e cobertores, bebedouros e comedouros para animais, rações, e medicamentos para as vítimas da tragédia.


Pontos de coleta

Hospital Veterinário UNIBH, o Diretório Acadêmico de Medicina Veterinária da UFMG, e as unidades de Carlos Luz, Buritis e Silva Lobo do Centro Universitário Newton Paiva.

A Luciana Pordeus, da Clínica Veterinária Santo Agostinho também está arrecadando itens de urgência e medicamentos para os animais, confira no Facebook:

O Greenpeace divulgou uma nota sobre esse crime ambiental: “Este novo desastre com barragem de rejeitos de minérios, desta vez em Brumadinho (MG), é uma triste consequência da lição não aprendida pelo Estado brasileiro e pelas mineradoras com a tragédia da barragem de Fundão, da Samarco, em Mariana (MG), também controlada pela Vale. Minérios são um recurso finito que devem ser explorados de forma estratégica e com regime de licenciamento e fiscalização rígidos. A reciclagem e reaproveitamento devem ser priorizados. Infelizmente, grupos econômicos com forte lobby entre os parlamentares insistem em querer afrouxar as regras do licenciamento ambiental, o que, temos alertado, significaria criar uma ‘fábrica de Marianas’. Casos como esse, portanto, não são acidentes, mas crimes ambientais que devem ser investigados, punidos e reparados.”

Veja o vídeo do Balanço Geral MG a situação dos animais após a tragédia de Brumadinho (MG):

5 thoughts on “Animais são atingidos por lama tóxica da barragem de Brumadinho (MG)

  1. Meu Deus. Deveriam todos os estados se unirem para ajudar pessoas e animais. E muita tristeza. Tenho muito medo por causa dessas chuvas. Rezem e ajudem. Mostrem que somos irmãos. Eu infelizmente não posso. Devo ter parentes que nem conheço. …Todos temos um parente que não conhecemos. Por favor pessoas ricas…. governadores…pessoas do mundo. AJUDEM POR FAVOR.

  2. Sou à favor de penas que realmente façam às pessoas pensarem melhor antes de maltratar animais.Cadeia neles!!!!

  3. Dr Bruno,eu confio no senhor sei que tem um coração bom por isso que foi escolhido por Deus sei que tá trabalhando e dando ó máximo que pode de si se Deus quiser vamos salvar bastante animais um abraço fique com Deus bjos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *